Limites na educação 730x410 - Limites na educação

Limites na educação

O que é e como fazer?

Dar limites na educação é muito importante mas muitos pais tem dificuldade em estabelecer algumas regras com os filhos e principalmente: regras que funcionam.

Já passou pela situação de estar no supermercado com seu filho e ele chora pedindo alguma coisa, e faz pirraça, se joga no chão e você não sabe o que fazer, não sabe como esconder essa vergonha pública?

Isso gera um sentimento muito desgastante nos pais. Já aconteceu de você ter que ceder a uma pirraça, a um pedido dele só para acabar com a confusão?

Pois é, isso é muito comum! Os pais encontram dificuldade em estabelecer o que é o  limite e pensar em não fazer uma educação autoritária como era nos tempos dos nossos pais (na educação deles), e hoje, não ser tão permissivos nem autoritários.

Vemos então, que precisa haver um equilíbrio e não conseguimos encontrar exatamente onde está esse equilíbrio, mas ele é possível estabelecendo limites na educação.

Da teoria à prática

Na minha experiência em consultório, percebo que muitos pais tem dificuldade em estabelecer limites.

E percebo também, adultos que, por não terem esses limites bem estabelecidos na infância, apresentam comportamentos inseguros, tem dificuldade em relacionamento interpessoal, relacionamento no trabalho, e também lidar com hierarquia.

Então, uma questão na infância que não foi bem trabalhada, causa prejuízo nesse adulto. Além desse prejuízo no relacionamento com pessoas, a soma de uma ou mais desses comportamentos inadequados podem desencadear em transtornos psíquicos, como, por exemplo a depressão.

Eu vivencio todas essas experiências na pele. Sou mãe da Alice de 4 anos e passo por esses momentos desafiadores ao lidar com comportamento dela.

Ao contrário do que todo mundo pensa que filhos de psicólogos são anjos, eles são seres humanos como qualquer outra criança, e vivencio esses desafios dia a dia com ela.

Como qualquer outra criança, ela tem seus momentos de vivenciar seu emocional, de testar, de querer desafiar uma proposta colocada, mas eu como adulta, tenho papel de ajudá-la a se desenvolver emocionalmente.

Acolhendo a raiva, dizendo para ela que ela pode sentir raiva, mas algumas coisas são feitas de uma forma, outras são de outra forma, que temos tempo para fazer cada coisa.

E cabe a mim conduzir essas manifestações emocionais dela. Porque quando uma criança faz uma pirraça, na verdade ela não está fazendo aquilo para te desafiar, é um desafio porque temos que aprender a como lidar com isso e como orientar a criança nessa manifestação comportamental.

Precisamos entender que esse choro, essa pirraça é forma com que a criança tem de se comunicar. É a forma mais primitiva que ela tem de dizer que ela está precisando de algo é o choro.

Um bebê quando está com dor, fome ou frio, ele chora. A criança vai aprendendo a pedir algumas coisas como quando quer comer, mas as manifestações emocionais ela não sabe expressar com palavras.

Então a forma como a criança recorre a comunicação com adulto, é através do choro, da pirraça, e cabe ao adulto interpretar e intervir.

Eu mesma já passei por várias situações desafiadoras que chego a questionar minha formação!

Será sou uma farsa? Mas eu volto, me posiciono e penso em novas estratégias, em novas formas de como me comportar diante dela como um recurso tenho de ensinar ela a expressar as emoções, a expressar os comportamentos dela.

E assim eu consigo trabalhar a aplicação de limites, de regras que vão funcionar, mas trabalhando esses limites com muito amor.

E sabe o que eu vejo? Vejo o resultado desse trabalho no carinho e na admiração que as pessoas tem a respeito do comportamento dela. Então para mim esse é um sinal, uma validação de como eu tenho conduzido, tem sido efetivo.

Um recurso possível

Vendo um vídeo no TEDex da Maria Tereza Maldonado, psicóloga mestre em psicologia, especialista nos assuntos referente a maternidade, ela fala que o desafio dos pais é colocar esses limites, mas que eles são necessários e são possíveis.

Para se tornar um adulto que cuida de si mesmo e que faz esse cuidado com bom desempenho, é necessário que essa criança tenha limites.

O maior medo dos pais é que os filhos se frustrem, mas é necessário que eles se frustrem. É necessário que eles passem por situações frustrantes para crescer, para desenvolver e para ter possibilidade de cuidar de si no futuro.

A frustração é necessária para o bom desenvolvimento psicológico e social da criança.

E a partir dessa palestra, ela trouxe algumas possibilidades que os pais tem para estabelecer esses limites na educação, com acordos de bom convívio de forma que funcione.

Ela desenvolveu uma metodologia, e nessa metodologia tem 5 passos para orientar os pais uma forma de conduzir esses combinados, esses acordos e entender o porquê as vezes se torna tão difícil dos pais aplicarem isso no dia a dia.

1° passo – será que está mais difícil educar os filhos no século 21?

Ela traz uma reflexão sobre a forma como os filhos eram educados há tempos atrás e como está o contexto contemporâneo onde nossos filhos estão crescendo.

2° passo – Trazer uma reflexão sobre o desenvolvimento

Marcos do desenvolvimento infantil e do adolescente, é importante conhecer para entender o que é esperado e o que está acontecendo na sua casa, com sua família, com seu filho.

Quais são as características do desenvolvimento infantil? É importante entender o que é esperado para cada idade e o que está vivenciando na sua casa.

Às vezes você está querendo atuar com seu filho de uma forma que não é esperado para idade dele.  E importante conhecer sobre o desenvolvimento para saber aquilo que você pode aplicar de forma eficiente na educação do seu filho.

3° passo: Como estabelecer esses limites

Estabelecer limites é um fator de prevenção para saber lidar com relacionamentos abusivos.

 4° passo – A raiz da dificuldade em estabelecer limites

Compreender a raiz da dificuldade dos pais para estabelecer esses limites. Como base na educação recebida e no que deseja fazer com os filhos.

5° passo – como estabelecer regras e combinados

Como conseguir colocar regras e limites de forma harmoniosa que todos na família vão conseguir aderir e trazer o sentimento de paz e tranquilidade para sua casa.

Se você se identifica com algumas dessas dificuldades, que você precisa entender e compreender como é possível colocar limites na educação e fazer isso de forma eficiente clique aqui para conhecer.

Limites na educação Maldonado - Limites na educação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *